Lição 9 – Central Gospel – Josué Um Homem de Coragem

1
4227

Texto bíblico: Josué 1 1,2.6-9

Texto áureo

Falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala a seu amigo; então, voltava Moisés para o arraial, porém o moço Josué, seu servidor, filho de Num, não se apartava da tenda.

Êxodo 33.11

Biografia

Antes de ser chamado de Josué, que significa “Jeová é Salvação” seu nome era Oséias cujo significado era “salvação”. Moisés foi quem mudou o seu nome, o que já evidenciava o que Deus faria através dele para todo o povo de Israel.

Porque a mudança de nome?

Quase sempre somos levados a seguir a direção do mais capaz, aquele que possui habilidades, talento para uma determinada função ou até mesmo experiência secular a qual pode ajudar a desempenhar melhor a função. Ai então chegamos a conclusão que o Oséias caiu do céu, foi enviado por Deus, realmente é a “salvação” para aquele ministério. E realmente o nome Oséias significa no hebraico “SALVAÇÃO”.

Mas Deus pode mudar o nome de qualquer um, ou até mesmo pode mudar o nome de Oséias para JOSUÉ para que ele saiba que “JEOVÁ É A SALVAÇÃO”,

Era filho de Num da tribo de Efraim, descendente de José – Gn 41.50-52; 1 Cr 7.27

Sabemos que José os descendentes de José deram origem a duas tribos Manassés e Efraim.

De certa maneira, Jacó adotou os filhos de José. Cada um dos dois netos de Jacó se tornaria uma tribo em Israel, assim como os outros filhos de Jacó. Através deles José recebeu a porção dobrada da herança que normalmente era destinada ao filho mais velho. Rúben perdeu o direito por causa do seu pecado [I Crônicas 5:1]. Ele e Simeão foram mencionados em virtude do grande desgosto que causaram a Jacó.

As palavras do versículo 6 foram proferidas para eliminar qualquer futuro mal entendido. Se José viesse a ter outros filhos, eles não se tornariam tribos separadas, mais teriam parte da tribo de Manassés e Efraim. José teria uma porção dobrada, mas nada além disso.

Considere a fé que Jacó manifesta aqui nas promessas de Deus. Ele começou a dividir a terra muito antes que Israel a possuísse. A fé verdadeiramente é a vitória [I João 5:4; Hebreus 11:13]. Considere também o valor que a fé colocou nas promessas de Deus. José era um príncipe no Egito, mas a sua verdadeira herança era uma porção dobrada na terra de Canaã.

Destacou-se com um dos mais fiéis companheiros de Moisés (Ex. 24.13; 32.17)

Provou o seu chamado em Ex. 17 9-16

Sua primeira experiência de guerra foi contra os amalequitas Êxodo 17: 8-16 onde Josué pelejou contra Amaleque no vale de Refidim e prevaleceu contra ele, Josué desbaratou Amaleque e a seu povo ao fio da espada. Isso aconteceu com a ajuda sobrenatural de Deus, os amalequitas eram fortes guerreiros, descendentes de Esaú e foi assim que Josué obteve sua primeira vitória.

Essa experiência ajudou Josué a se preparar para maiores desafios em sua vida. Josué em seu chamado recebeu duas importantes promessas. Primeira: Josué 1: 5 “Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida; como foi com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei, nem te desampararei.”, o Senhor lhe promete que estaria sempre com ele, tal como foi com Moisés. Segunda: Josué 1: 3-4 “Todo lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu prometi a Moisés. Desde o deserto e o Líbano até ao grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus e até ao mar Grande para o poente do sol será o vosso termo.”

Josué caminhava para suas conquistas, sempre lembrando das promessas que recebeu do Senhor. Cada vitória de Josué foi conquistada passo a passo, Josué só tinha que andar para que mais terras fossem conquistadas.

Escolhido por Deus para ser o sucessor de Moisés (Dt. 31.14,23) sendo revestido para tal missão (Js. 1.1).

Principais qualidades de Josué

1. Um líder chamado (Dt 31.7,14,23).

Josué surgiu de repente no confronto que Israel enfrentou no deserto de Refidim. Sua primeira aparição sob a tutela de quando Moisés escolheu homens capazes para o espiar a Terra. (Êx 17.8). Seus pais eram cativos e ele nasceu na escravidão no Egito. Nasceu cativo portanto. Mas DEUS o libertou e o fez um colaborador de Moisés. Sempre se revelou valente capitão. Quase foi apedrejado, se não é a intervenção da nuvem da glória, porque insistiu com os filhos de Israel que avançassem através do deserto para Canaã quarenta anos (Nm 14.6­10). Originalmente, o nome de Josué era Oséias que significa “salvação” (Nm 13.16; Dt 32.44). Josué significa “a salvação de DEUS”. Parece que teve seu nome mudado quando se mostrou fiel à DEUS ao lado de Calebe (Nm 14.30). Ele é chamado “servo de Jeová” aquele por meio de quem DEUS transmitiu suas ordens e mediante quem Ele realiza seus propósitos – o primeiro ministro de DEUS. Esteve com Moisés no monte (Ex 24.13). Parece ter jejuado quarenta dias e quarenta noites a exemplo de Moisés (cf. Ex 24.13-18; 32.15-19).

2. Sua vida e seu trabalho.

Josué, além do episódio que marcou sua coragem na guerra com Amaleque, esteve envolvido em outras missões importantes. Era tido como sendo um “dos escolhidos” de Moisés (Nm 11.28). Foi um dos doze espias enviados por Moisés a espiar a terra de Canaã (Nm I 3.8- I 6). Parece que ele tinha 85 anos quando recebeu a liderança de Moisés. Julga-se que levou uns 6 anos na subjugação da terra; o resto de sua vida passou estabelecendo e governando as doze tribos.

Seu governo sobre Israel, ao todo durou uns 25 anos. Morreu aos 110 anos e foi sepultado em Timnate­Sera que está no monte de Efraim (Js 24.29.30). Foi guerreiro notável; disciplinou suas tropas; enviou espias; como sempre, o encontramos orando e confiando em DEUS.

3. Josué era um líder capaz (Êx 17.9-13).

Em nossos dias conforme sabemos já existem até cursos intensivos de liderança espiritual. Não sou contra estes cursos. Entretanto um verdadeiro líder de nível  tão abençoado como o de Josué, tecnicamente falando, tem que ser levantado por DEUS como o apóstolo Paulo que foi um verdadeiro líder e declarou:

“Não que sejamos capazes por nós de pensar alguma coisa como de nós mesmos, mas a nossa capacidade vem de DEUS, o qual nos fez também capazes de ser ministro dum novo testamento. não da letra, mas do espírito …” (2 Co 3.5,6). É comum em nossos dias ver-se pessoas exercendo certas funções sem a devida capacidade. Estas pessoas são dignas, mas não são capazes. Uma coisa é ser digna, a outra é ser capaz. O sábio conselho de Jetro, sogro de Moisés foi: “Tu dentre o povo procura homens capazes …” (Ex 18.21-25). Este padrão não mudou e não deve mudar. (Gn 41.38,39; I Sm 16.16-19; Dn 1.3,4; At 6.3).

JOSUÉ ERA UM LÍDER CHEIO DE SABEDORIA

1. A sabedoria divina o capacitou (Dt 34.9).

No texto em foco, nesta seção, diz que: “Josué. filho de Num, foi cheio do espírito de sabedoria, quanto Moisés tinha posto sobre ele suas mãos” Josué, portador agora desta sabedoria do alto, tomou-se um líder com função dupla: Cuidava do povo e ao mesmo tempo fazia as guerras do Senhor. Era, portanto, necessário ser, de fato, um capitão inteligente e acima de tudo temente a DEUS. As Escrituras falam com exclusividade sobre certos homens que foram capacitados por DEUS com “o dom da sabedoria” . Por exemplo: José (Gn 41); Moisés e Arão (Êx 4.12,-15); Bezaleel e Aoliabe (Êx 31.2,3,6); Davi (SI 45.1); Salomão (l Rs 3.12,28; 4.29­34); Eliú (Jó 32.27); Isaías (Is 50.4); Jeremias (Jr 1.9). E muitos outros, tanto no Antigo como do Novo Testamento.

2. A sabedoria é excelente para dirigir (Ec 10.10).

Um líder cheio de sabedoria entende todos os fatos e circunstâncias, leis e princípios, todas as tendências, influências e possibilidades. Ele possui tudo que é preciso no sentido de matéria prima (celestial, humana e natural), poder e perícia (l Rs 3.12; Ec 8.5). Tomando-se assim um homem capacitado para: governar (Gn 41.33-39), criar (invenção) (Ex 30.1-6), comandar (Dt 34.9), julgar (2 Rs 3.16-28), entender coisas difíceis (2 Sm 14.20), edificar a Igreja (1 Co 14.12,etc). De fato, a Bíblia afirma que “a sabedoria é coisa principal” (Pv 4.7a)Josué foi um líder possuidor desta graça divina, porque o temor do Senhor estava com ele (Js 2o.5; SI 111.10).

Não é debalde que o primeiro dom relacionado na lista dos dons espirituais em 1 Co 12 é a “palavra da sabedoria” (v.8), não se referindo apenas à sabedoria humana, mas à sabedoria do DEUS que vê o futuro.

3. Josué, um líder vitorioso (v.8).

Josué prosperava em tudo o que fazia. (SH) Era sempre vitorioso, ele sabia que sua vitória não vinha dele mesmo, mas sim de DEUS. O apóstolo Paulo e outros escritores do Novo Testamento, afirmam que vivemos num mundo espiritual em que se movimentam milhões de seres hostis tanto a DEUS como a seus servos. Então Paulo conclama as forças de DEUS a se posicionarem para tal batalha. (Ef 6.12,13). Josué e o povo dependiam de DEUS que lhes assegurava a vitória. Dependemos de CRISTO.

“Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais (Efésios 6:12)”.

JOSUÉ, UM LÍDER FORTE E CORAJOSO

1. Forte e Corajoso:

Muitos têm se precipitado naquilo que falam e realizam, esse tem sido o caminho do fracasso para muitas pessoas. Entretanto, ser forte e corajoso tem sido uma virtude para muitos servos de DEUS. A ordem divina neste campo é sempre esta: “Diga o fraco: Eu sou forte!” (Jl 3.10). O crente somente deve dizer que é fraco na presença de DEUS” (S16), mas na presença do Diabo, porém, deve se apresentar como um guerreiro forte (FI 4.13). Na seleção de DEUS para o grande duelo entre os israelitas e as forças confederadas dos midianitas e amalequitas, a ordem divina foi: “Quem for covarde e medroso, volte. Que surpresa! “Voltaram do povo vinte e dois mil” (Jz 7.3). No combate da fé precisamos do auxílio de DEUS. Os tímidos ficarão fora do céu (Ap 21.8). Acreditamos que os tais sejam os apóstatas que, por covardia, viraram as costas à “batalha da fé que uma vez foi dada aos santos” (Jd v.3b),são aqueles que em tempo de tribulação, abandonaram a CRISTO e Seu testemunho, a fim de salvarem sua própria pele.

Para fazer a obra de DEUS é preciso esforçar-se e ter bom ânimo, também é necessário ser forte e corajoso.

Por seis vezes Josué ouviu este conselho e exortação de DEUS:

“Esforça-te e tem bom ânimo. Sê forte e corajoso”

Deuteronômio 31:7 E chamou Moisés a Josué, e lhe disse aos olhos de todo o Israel: Esforça-te e anima-te; porque com este povo entrarás na terra que o SENHOR jurou a teus pais lhes dar; e tu os farás herdá-la.

Deuteronômio 31:23 E ordenou a Josué, filho de Num, e disse: Esforça-te e anima-te; porque tu introduzirás os filhos de Israel na terra que lhes jurei; e eu serei contigo.

Josué 1:6 Esforça-te, e tem bom ânimo; porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria.

Josué 1:7 Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares.

Josué 1:9 Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ánimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu DEUS é contigo, por onde quer que andares.

Josué 1:18 Todo o homem, que for rebelde às tuas ordens, e não ouvir as tuas palavras em tudo quanto lhe mandares, morrerá. Tão-somente esforça-te, e tem bom ánimo.

2. Josué era um líder laborioso (v.6,9).

No Salmo 89.19 há uma promessa de DEUS para aquele que trabalha: “Socorri um que é esforçado, exaltei a um eleito do povo”. A inatividade na vida espiritual especialmente tratando-se de um líder é condenada por DEUS e repugnada pelo povo em geral. No livro de Provérbios fala-se do preguiçoso cerca de 17 vezes, por isso é evidente que o ESPÍRITO SANTO prepara pessoas dispostas para a obra, tanto jovens como pessoas mais Idosas. O preguiçoso é reprovado já primeiro estágio por covardia (Pv 21.25; 26.13), por negligenciar as oportunidades (Pv 12.27), os deveres (Pv20.4),por desperdício (P’v 18.9), por indolência (Pv 6.6,7), por fazer-se sábio a seus próprios olhos. (Pv 26.16). O apóstolo Paulo era rigoroso com isto, ele diz: “

Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também”. (1Ts 3:10).

Muitas pessoas não chegam a prosperar na vida, porque se esquecem deste método tão eficaz. As oportunidades seguem uma seqüência: “quem se adianta passa e quem se atrasa fica” .

4. Nossa vitória depende de CRISTO.

Nossa vitória, a exemplo do povo eleito depende de CRISTO, não se prende à luta física, pois necessariamente, se assim fosse, seria então fracasso e não vitória. Somente em CRISTO e por CRISTO é que nossa vitória estará assegurada. CRISTO nos faz triunfar, porque Ele é vitorioso em tudo quanto é e faz. Sempre há uma promessa de vitória a dizer: “Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho … ” (Ap 12.11).

SUBSÍDIOS PARA O PROFESSOR – SUBSÍDIO CRONOLÓGICO

Como já dissemos na lição anterior, a tomada de Jericó ocorreu por volta de 1422 a.C. Conforme opinam alguns eruditos, os filisteus ainda não haviam chegado a Canaã, pois, entre os inimigos de Israel, eles não são mencionados.

Para se entender o livro de Josué é necessário, antes de mais nada, ter­se uma clara visão do Pentateuco. Doutra forma, seríamos induzidos a considerar desnecessárias as implacáveis campanhas militares desencadeadas pelo grande general contra os habitantes de Canaã. Em outras palavras, há que se situar historicamente a tomada da Palestina por Israel para se compreender a ânsia dos peregrinos hebreus por uma terra que mana leite e mel.
O livro vai da morte de Moisés à morte de Josué. Como sucessor do grande homem de DEUS, o general ficou com a árdua missão de liderar Israel na travessia do Rio Jordão e na tomada de Canaã. A maior parte do relato é dedicada a conquista de Canaã e a divisão da terra entre as tribos de Israel.
Para que Josué fosse bem sucedido em seu ministério, havia uma condição. Com a palavra, o pastor Antonio Neves Mesquita: “Havia uma lei para ser observada: a lei do servo Moisés, a pedra de toque. Em torno dos postulados de Moisés giraria toda a iniciativa da conquista e até mesmo a história posterior. “A lei de meu servo Moisés” era para o tempo e para a eternidade. Os que tanto têm lutado para destruir essa lei e suas conquistas não pensaram a sério no significado da lei dada por DEUS. Josué aceitou o desafio proposto e se preparou para a partida. O caminho não seria tão longo, mas deslocar uma multidão de milhões, com crianças e animais. era um problema que precisava ser ordenado com antecipação. Por isso enviou pregões a todos os cantos do arraial, mandando o povo se preparar. Conclamou os rubenitas, gaditas e a meia tribo de Manassés a que os acompanhassem, e de bom grado o fizeram. Ressaltamos aqui o espírito de honra demonstrado por essas duas e meia tribos. Já instaladas em boas terras, as terras do amoritas, de Seom e Ogue, com suas casas, seus filhos, tudo bem preparado, se aprestaram para unir sua sorte à dos seus irmãos, do outro lado do rio. Essa era a ordem deixada por Moisés, e não poderia ser de outro modo; pois estariam lutando por vencer os inimigos e não seria justo que os outros permanecessem tranqüilos em suas casas e fazendas. É a prova da solidariedade bem exemplificada. A resposta a Josué, dada pelas tribos é é exemplar e merece destaque. “Tudo quanto nos ordenaste faremos, e onde quer que nos enviares iremos. Como em tudo ouvi os a Moisés, assim te ouviremos a Ti … ”

SUBSÍDIO DOUTRINÁRIO

Escrevendo a Timóteo, alertou o apóstolo Paulo que estes últimos dias seriam difíceis e trabalhosos. E, de fato, assim tem sido! Por isso, necessitamos de obreiros verdadeiramente vocacionados, pois, doutra forma, a Igreja de DEUS não suportará as lutas destes derradeiros tempos. Precisamos de homens como Josué. Escreve José Deneval Mendes: “Josué é fruto de discipulado. Ele esteve ao lado de Moisés desde o inicio da jornada no deserto. A primeira missão que lhe coube foi selecionar homens para guerrear contra Amaleque (Ex 17.9). Em seguida, ele aparece como servidor de Moisés (Êx 24.13; 32.17; 33; 11; Nm 11.28). Esteve presente em todos os momentos críticos da jornada pelo deserto. Com isso, no serviço e na obediência prática, ele se transformou em um grande líder: “E Josué, filho de Num, estava cheio de espírito de sabedoria, porquanto Moisés tinha posto sobre ele as suas mãos; assim os filhos de Israel lhe deram ouvidos e fizeram como o Senhor ordenara a Moisés” (Dt 34.9).
“Continua o mesmo autor: “Grandes homens de DEUS aprenderam o discipulado com seus lideres espirituais. Durante anos, tiveram a oportunidade de demonstrar obediência, fidelidade e submissão. Quando foram chamados a ocupar a liderança, estavam preparados, e DEUS Ihes falou, e confirmou a chamada para sua obra. O grande empecilho hoje é que muitos não querem esperar, obedecer, e submeter-se. Por isso são rejeitados.”

NO FUTURO DE JOSUÉ, COMO VEMOS NA BÍBLIA:

Como sucessor de Moisés, Josué cruza o rio Jordão e dá combate aos cananeus, que então habitavam a terra prometida. Vencidos os cananeus, os israelitas se estabelecem na Palestina. Tem de travar luta contra os povos vizinhos permanentemente. Devido as lutas pelas conquistas de Canaã ou Terra Prometida, surgiu necessidade do poder e do comando estarem nas mãos de chefes militares. Estes chefes passaram a ser conhecidos como Juízes. Período dos Juízes, Com a concentração do poder em suas mãos, os juízes procuraram a união das doze tribos, pois ela possibilitaria a realização do objetivo comum: O domínio da Palestina.
As principais lideranças deste período foram os juízes: Sansão, Otoniel, Gideão e Samuel, todos eram considerados enviados de Jeová, para comandar os Hebreus.
A união das doze tribos era difícil de ser conseguida e mantida, pois os juízes tinham um poder temporário e mesmo com a unidade cultural, (língua, costumes, e, principalmente religião), havia muita divisão política entre as tribos. Assim foi preciso estabelecer uma unidade política. Isto foi conseguido através da centralização do poder nas mãos de um monarca (Rei), o qual teria sido escolhido por Jeová para governar, segundo o desejo do povo, mas o desejo de DEUS era governar atravéz de um profeta como Samuel que em tudo ouvia a DEUS e O obedecia.

APLICAÇÃO PESSOAL


DEUS chama os homens e os capacita para serem líderes de seu povo na terra. Ele não os escolhe pelos seus atributos físicos, mas espirituais e morais. O Senhor não convoca os soberbos, porém estende as mãos aos humildes. Ele não arregimenta o ancião por sua experiência, nem o jovem por sua força, mas o servo por sua obediência. O Eterno não precisa de um guerreiro para vencer um gigante, mas de um pastor que o adore. Ele faz com que uma anciã estéril se torne mãe de reis e príncipes. Tudo o que ‘Elõhim pede ao homem ou mulher a quem torna líder é: “Esforça-te e tem mui bom ânimo para teres o cuidado de fazer conforme toda a lei, dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares” (Js 1.7).

.

1 Comentário

DEIXE UMA RESPOSTA