Lição 2 – Enoque – O homem que andou com Deus

0
2341

Você está disposto a ouvir a Deus?

No tempo de Enoque a revelação especial não era escrita, como a temos hoje na Bíblia. Deus falava diretamente, e o ensino era transmitido de pai para filho.
Enoque, através dos seus país, recebeu o conhecimento de Deus e aprendeu a amá-lo. Transmitiu este conhecimento aos seus filhos, ensinando-os a viver piedosamente e em íntima comunhão com Deus, como ele mesmo viveu.

Deus falava, e ainda fala, àqueles que estão dispostos a ouvir e a obedecer. Ele falou com Caim, mas ele não estava disposto a obedecer, então Deus parou de falar com ele. Deus quer falar com você, encontrará receptividade e obediência?

Como foi nos dias de Noé

Talvez você argumente que naquele tempo fosse mais fácil obedecer a Deus. Nada disto! Lembra-se que após alguns anos Deus enviou o dilúvio para destruir toda a raça humana? Sabe porque? Devido ao nível de perversão e depravação que os homens haviam chegado, tal a maldade, crueldade, impureza e toda sorte de corrupção e violência que cometiam.

Foi neste ambiente que viveu Enoque, foi neste ambiente que ele criou os seus muitos filhos, manteve comunhão com Deus e fez a sua vontade.

Fazendo a diferença

Enoque fez diferença no meio de uma geração pervertida e má. E tanto o mundo não o mereceu que Deus decidiu levá-lo para si, sem que ele experimentasse a morte. Ele ficaria melhor juntinho do Pai celestial.

Como precisamos de homens e mulheres que façam diferença em nossa geração como Enoque fez na sua. Homens consagrados ao Senhor, que busquem ter comunhão diária com Ele; que vivam na dependência dele. Isso certamente significará desafiar e se opor à moral, a cultura e ao espírito da nossa época.


Neste ponto te desafio com a seguinte reflexão: A nossa geração está melhor do que a de Enoque? Certamente que não! Os dias de hoje estão muito semelhantes aos dias dele. Mas, lá havia um Enoque a ser usado, e hoje, quem Deus vai usar?

Enoque viveu trezentos e sessenta e cinco anos antes de ser arrebatado e isso nos capacita a extrair algumas lições desta preciosa vida. Dependência de Deus

Primeira lição: Enoque pecou? A Bíblia diz que “todos pecaram” e que “não há um justo sequer”. Certamente ele pecou. Se entendermos que ele viveu trezentos e sessenta e cinco anos, e sua vida é resumida em apenas quatro versos, percebemos que o autor identifica apenas os aspectos mais importantes da vida dele e dos demais que aparecem.

Moisés, em apenas cinco capítulos, narra dois mil anos aproximados de história. Não dá para entrar em detalhes, entende? Somente Adão e Jesus foram perfeitos. Adão, é claro, falhou. Portanto, só Jesus foi perfeito e imaculado.
Então, andar com Deus, fazer a vontade de Deus, agradar a Deus, não é viver sem pecar, isto seria impossível. Mas um elemento se destaca na vida de Enoque: A fé e a dependência de Deus no dia a dia, isso fez toda a diferença em relação aos demais.

Enquanto os outros faziam a sua própria vontade, Enoque procurava ouvir a Deus e ter comunhão diária com Ele. Isto com certeza significou sacrifícios, luta contra os desejos carnais e contra as paixões que dominavam a sua época, os seus contemporâneos. Mas desta forma ele agradou a Deus.


Fazer a vontade de Deus é ter uma vida de fé e dependência continua nele, é lutar contra os desejos e paixões carnais, esta atitude leva a pessoa a ter uma vida diferente da dos demais. Cada dia com Deus

Segunda lição: Enoque andou com Deus, trezentos e sessenta e cinco anos. É certo que não dá para viver tanto tempo nos dias atuais não é mesmo? Mas dá para viver trezentos e sessenta e cinco dias do ano com Deus, firmes, sem vacilar. Isto é um desafio matematicamente interessante. Este é o desafio de Enoque, viver, a cada dia do ano, com Deus. Ao encontro de Deus


Terceira lição: Somente a fé pode nos levar ao encontro de Deus. A trasladação de Enoque é uma figura do arrebatamento da Igreja de Jesus, quando ele, um dia, nos levará para si, eternamente.

Jesus afirmou: “Como aconteceu nos dias de Noé, assim também será nos dias do Filho do homem. Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio e os destruiu a todos.” (Lucas 17:26-27).


Enoque viveu dias que antecederam ao dilúvio, portanto esta declaração se aplica aos seus dias. Jesus disse que os acontecimentos que antecederão a sua vinda seriam idênticos aos que ocorreram antes do dilúvio. E os nossos dias estão extremamente semelhantes aos de Enoque e Noé, portanto, a vinda de Cristo se aproxima, quando ele irá arrebatar e levar para si os que lhe pertencem, os que vivem uma vida de fé e fazem a sua vontade.
Por isso, já em seu tempo, Enoque pregava com veemência: “Vede, o Senhor vem com milhares de seus santos, para fazer juízo contra todos.” (Judas v. 14, 15). Conclusão

Precisamos pregar contra a impiedade e viver com Deus, pois a segunda vinda de Cristo é iminente e muitos precisam ser alcançados pela sua graça salvadora.


Somente dois homens tiveram o privilégio de ser trasladados sem provar a morte: Enoque e Elias. Entretanto, todos podem ter o privilégio de, pela fé, se encontrarem um dia com o Senhor Jesus, isso é, todos os que fazem a vontade de Deus. Seja um destes, vivendo como um Enoque de Deus em nossa geração.

Texto extraído e adaptado do livro “4 Homens e Um Segredo” de Jair Souza Leal. Contatos: jairsouzaleal@hotmail.com.
Fonte: http://www.crentes.net/

VÍDEO COMPLEMENTAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA